À espera da nova Farm Bill

Comitiva é recebida no Senado

Na visita da comitiva do Sistema Famato/Senar ao Congresso norte-americano, em Wahsington, foi visível a preocupação dos senadores dos estados com base agropecuária em relação às discussões acerca dos subsídios destinados à produção agrícola previstos na Lei da Agricultura, a Farm Bill. De forma geral, o sentimento é de que os cortes serão fortes devido à crise econômica.

“Os dois senadores de Dakota do Sul, um democrata e outro republicano, manifestaram o mesmo receio e atenção com o tema”, ponderou o gerente de Aprendizagem Rural do Senar-MT, Marciel Becker, que participou da Missão Técnica nos Estados Unidos.

Embora haja compreensão em relação ao momento atual do País, os senadores reagem à política de corte de custos. “Um dos senadores está propondo uma moratória de dois anos sobre os cortes na agricultura, pois para colocar em prática o pedido do presidente Barack Obama de gerar mais empregos será preciso investir”, comenta Marciel. Outra proposta em estudo é a definição de um limite máximo de subsídio social por família. “Mas se o pagamento de subsídio direto vão se reduzir, provavelmente o subsídio de controle de desastres deve aumentar”, informa Marciel Becker.

A situação econômica norte-americana está tão delicada que foi criado um “super” comitê em agosto para definir os cortes no Poder Executivo, formado por seis senadores e seis deputados. Se o comitê não definir os cortes, a decisão caberá exclusivamente ao Executivo. “A informação que tivemos é que para cada US$ 1,00 gasto nos Estados Unidos, US$ 0,40 são emprestados”, informa o gerente do Senar-MT.

Outro assunto que tem chamado a atenção dos parlamentares é a seca no Texas. Além disso, os senadores se mostraram preocupados com a interferência das agências Protetora dos Animais e do Meio Ambiente sobre a produção animal.

Reunião na Agência de Serviços ao Produtor dos EUA

A comitiva do Sistema Famato/Senar conheceu de perto também a Agência de Serviço ao Produtor, órgão público focado na operacionalização dos subsídios da Farm Bill. Com 2.400 funcionários distribuídos por todos os municípios norte-americanos, a agência administra um orçamento de US$ 5 bilhões para 18 culturas diferentes e 265 milhões de acres. A maior parte dos recursos fica com a agricultura, e o principal foco é minimizar situações de desastres que impactam a atividade rural.

A distribuição dos recursos é feita conforme o tamanho da área, sendo que milho, soja e trigo são as culturas com maior subsídio. Até 1996, os recursos eram feitos por cultura: o produtor não podia mudar de cultura que perderia o subsídio. A partir desse ano, a base de cálculo foi alterada para o tamanho da propriedade.  (Marciel Becker)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s