Famato participa de Estradeiro para conferir obras da BR-163

Entre os dias 26 e 30 de novembro, representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) percorreram aproximadamente 1.180 quilômetros entre Cuiabá-MT e Santarém-PA no Estradeiro BR-163, promovido pelo Movimento Pró-Logística. Durante a expedição, a equipe vistoriou o andamento das obras de pavimentação e construção de pontes ao longo da rodovia.

2 dia 009
Vice-presidente da região II da Famato, José Guarino, analista de Meio Ambiente e Logística do Núcleo Técnico da Famato, Lucélia Avi, suplente da vice-presidência da região V, Vilmondes Tomain e o presidente do Sindicato Rural de Porto Estrela, Rui de Faria.

Esta rodovia é considerada uma obra prioritária para o escoamento da produção agrícola de Mato Grosso, maior estado produtor de soja do país. Boa parte dos produtos que saem do estado em direção aos portos do Sul ou do Norte do país seguem pelas estradas. Somente na extensão Centro-Norte da BR-163 concentram-se aproximadamente 50% da produção de soja mato-grossense.

2 dia 075
Muitas obras ao longo da BR-163.

 

O que se verificou, segundo a analista de Meio Ambiente e Logística do Núcleo Técnico da Famato, Lucélia Avi, que participou do Estradeiro, foi que em muitos trechos as obras estão adiantadas.  “Porém trechos asfaltados anteriormente já apresentam defeitos, o que é preocupante, pois com o alto fluxo de caminhões que trafegam por estes locais a deterioração pode avançar ainda mais”, comenta.

3 dia Estradeiro 066
Trecho sem asfalto na BR-163.

Há obras de responsabilidade do Exército na localidade de Vila do Trinta até Miritituba, que é distrito de Itaituba, e também de Rurópolis a Santarém. No primeiro trecho, está tudo parado. No segundo, os homens estão trabalhando em terraplanagem e em imprimação da massa asfáltica.

3 dia Estradeiro 180
Obras de pavimentação na BR-163.

Terminal – A comitiva do Estradeiro BR-163 visitou também o Terminal Fronteiro Norte (Terfron), em Miritituba, distrito do município de Itaituba, no Pará. Neste local as obras da empresa Bunge estão iniciando e outras empresas estão em fase de projeto para utilizar o rio Tapajós no escoamento de grãos. O objetivo é que saia deste terminal, pelo menos, dezoito barcaças com capacidade de duas mil toneladas cada, transportando os grãos que vem de Mato Grosso. Isso significa 900 caminhões a menos nas rodovias. O principal porto para onde estes produtos serão encaminhados será o de Santana, em Macapá. Além disso, a equipe também visitou o porto de Santarém.

4º estradeiro 010
Porto de Santarém, no Pará.

Cerca de 40 membros de entidades do setor produtivo de Mato Grosso compõem o Estradeiro. Da Famato participaram a analista de Meio Ambiente e Logística do Núcleo Técnico da Famato, Lucélia Avi, o suplente da vice-presidência da região V da Famato, Vilmondes Tomain, o vice-presidente da região II, José Guarino, o presidente do Sindicato Rural de Porto Estrela, Rui de Faria, e o suplente do Conselho Fiscal, Maurildo Lauro.

2 dia 024
Até o próximo estradeiro, pessoal!

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s