Encontro com membros do Instituto de Promoção de Carne de Gado da Argentina

Há 11 anos o Instituto de Promoção de Carne de Gado da Argentina (IPCVA) tem o papel de promover a carne no mercado interno e externo. O instituto é dividido em comitês com diferentes focos, entre eles há áreas dedicadas em capacitação, pesquisa e desenvolvimento, economia e para assuntos internos e externos. Ao todo são sete entidades que compõem o instituto, cuja fonte de financiamento é oriunda dos produtores rurais (70%) e das indústrias (30%).

Durante a Exposição Agropecuária de Palermo, os produtores rurais de Mato Grosso foram recebidos pelos representantes do órgão: Gonzalo Alvarez Maldonado, presidente, Adrian Eduardo Bifaretti, chefe do departamento de Promoção Interna, e Arturo Liavolloi, conselheiro.

Para se ter uma ideia da importância desse instituto, até sua criação a Argentina não possuía estatísticas oficiais de mercado, apesar do alto consumo de carne no país. Agora, o IPCVA é referência de dados para o mercado.

Estande do IPCVA na Exposição Agropecuária de Palermo.
Estande do IPCVA na Exposição Agropecuária de Palermo.
Reunião dos dirigentes do Sistema Famato/Senar com membros do IPCVA
Reunião dos dirigentes do Sistema Famato/Senar com membros do IPCVA

O instituto foi regulamentado por lei com a finalidade de defender os interesses dos produtores que destinam os animais para o abate. Os representes do órgão estão presentes nas principais feiras de carne do mundo.

As três linhas de projetos principais trabalhadas são: socioeconômica, melhoria da produtividade e qualidade da carne. Além dos próprios trabalhos desenvolvidos pela entidade, existem parcerias com outros órgãos de pesquisa, como o Inta (Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária), para pesquisas em produção primária e tecnologia para agroindustrialização.

O IPCVA também promove capacitações em seminários regionais, nos principais polos da Argentina, para uma média de 400 a 500 produtores. Além disso, são feitos dias de campo para levar conhecimento aos produtores e capacitações virtuais, sendo de 12 a 14 cursos por ano.

Embora o instituto seja 100% privado, há uma cadeira para o governo argentino mais para efeito de “fiscalização”.

Entre as pesquisas interessantes relatadas pelos membros, estão os estudos de mercado nos pontos de venda, como os supermercados. O IPCVA pesquisa 200 pontos de venda na capital argentina para verificar os hábitos de consumo. Inclusive, uma das pesquisas é com o foco em crianças e adolescentes com o intuito de saber as tendências para o consumo.

As mudanças no perfil do consumo de carne dos argentinos está mudando com muita rapidez. Há 15 anos, o consumo per capita era de 70 kg por ano. Hoje são 60 kg/ano. No mesmo intervalo, o consumo de carne suína, por exemplo, quase dobrou, passando de aproximadamente 6 kg/habitante/ano para 11 kg/habitante/ano.

Uma parte dos integrantes da Missão Técnica com membros do IPCVA.
Uma parte dos integrantes da Missão Técnica com membros do IPCVA.
Na entrada da Exposição Agropecuária de Palermo. Não é a maior exposição, mas a mais antiga e mais tradicional da Argentina.
Na entrada da Exposição Agropecuária de Palermo. Não é a maior exposição, mas a mais antiga e mais tradicional da Argentina.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s